SindGESTOR - Sindicato dos Gestores Governamentais de Goiás

Ir para página inicial

Comunicação

Notícias

Falta humildade na administração pública - artigo Eduardo Aires para A Redação

O jornal A Redação publicou, nesta segunda-feira (6/11), artigo do presidente do SindGESTOR, Eduardo Aires. No texto, Aires defende que um dos problemas da administração pública é a falta de humildade de quem assume postos importantes e não reconhece, nos servidores da área, a aliança necessária para resolver as demandas que o órgão apresenta. "Por não conhecer a fundo o problema e não querer ouvir servidores que lidam diariamente com aquilo, jogam fora recursos escassos, aposentando projetos ainda em desenvolvimento, por exemplo", aponta Eduardo.

Leia abaixo o texto completo e acesse a publicação no A Redação


Falta humildade na administração pública

Em 15 anos de serviços público, especialmente dedicados à transparência e ao enfrentamento da corrupção - desde antes desses termos se tornarem parte do vocabulário popular e do discurso político -, percebo que a qualidade da qual os agentes públicos mais se ressentem não é a honestidade, mas a humildade.
 
O grande entrave da administração pública não é corrupção, e sim o casamento pernicioso entre burocracia e arrogância, que é gritante nos cargos do primeiro e segundo escalões, embora não seja exclusivo das grandes autoridades, pois pequenas autoridades também demonstram esse traço de forma inconteste. Autoridades arrogantes já são parte da cultura organizacional da administração pública.
 
Cabe esclarecer que arrogância não é sinônimo de falta de educação. Me refiro ao sentimento de hipersuficiência, à certeza inabalável de ser portador das respostas a todas as perguntas e da certeza da “incompetência e preguiça generalizadas dos servidores de carreira”.
 
Os erros se repetem e multiplicam na exata medida em que novas autoridades são alçadas a novos degraus. Prepotentes, acreditam que exista uma fórmula mágica e que os incompetentes que lá estão, talvez por preguiça ou má vontade, não resolvem o problema. Por não conhecer a fundo o problema e não querer ouvir servidores que lidam diariamente com aquilo, jogam fora recursos escassos, aposentando projetos ainda em desenvolvimento, por exemplo. Repetem velhas práticas comprovadamente ineficazes e atrapalham a produtividade do serviço público como um todo.
 
A grande qualidade almejada de um administrador público deveria ser a humildade. Humildade para entender a diferença entre interesse público e suas convicções pessoais; que a legalidade é a esteira por onde deve andar o administrador público; que cada servidor faz o melhor com as ferramentas que lhe são disponibilizadas e que, se parece simples e ainda não foi resolvido, deve haver algum complicador imperceptível a olhos destreinados. Afinal, somos capazes de ver somente as coisas que fazem parte do nosso repertório de experiências prévias.
 
Isso me faz lembrar um caso que ocorreu há pouco tempo, quando estava em uma churrascaria com um de meus filhos, e o garçom nos ofereceu cupim defumado e prontamente foi interpelado por meu filho: "perfumado"?  Quem, assim como eu, tem filho pequeno, já passou por experiência semelhante. O fato é que à medida que envelhecemos, essas coisas tornam-se cada vez mais raras, mas elas não se extinguem por completo.
 
Profissionais utilizam métodos, técnicas e um linguajar que lhes são apropriados, e se não temos humildade suficiente para admitir que não as dominamos, procedemos como a criança na churrascaria, que percebe as coisas a partir de sua bagagem pessoal. Com o agravante de que as consequências não serão simples risadas dos envolvidos, mas prejuízos de recursos públicos, de tempo, processos civis, administrativos e criminais.
 
*Eduardo Aires Berbert Galvão é Gestor Governamental especialista em Planejamento e Orçamento, presidente da Fenagesp e do SindGESTOR, membro do Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção do Governo do Estado de Goiás, Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Data : 07/11/2017

Fonte : Comunicação SindGESTOR -





Vaga para gestor com FC

Vaga para gestor com FC

 21/11/2017

 Comunicação SindGESTOR

A Gerência de Modernização de Gestão da SEGPLAN busca gestor governamental para a unidade, com oferta de FCA-5,no valor de R$ 668. Para assumir a vaga é desejável facilidade de redação e interpretação de textos, para [...]



20/11 - Dia da Consciência Negra

20/11 - Dia da Consciência Negra

 20/11/2017

 Comunicação SindGESTOR

  Desde 2003, o dia 20 de novembro ficou conhecido com o Dia da Consciência Negra. A data comemorativa foi estabelecida pela Lei federal nº 10.639, quando foi instituído nas escolas do país o ensino da história e da cultura afro-brasileiras. A data [...]



Goiasprev busca assessores jurídicos

Goiasprev busca assessores jurídicos

 10/11/2017

 Comunicação SindGESTOR

A Goiasprev está ofertando 12 vagas para assessores jurídicos, com gratificação de função comissionada (FCA-2) no valor de R$ 1.336. As vagas se destinam a servidores efetivos ou celestistas, que tenham formação em Direito e [...]



SED oferece vaga para gestor governamental

SED oferece vaga para gestor governamental

 09/11/2017

 Comunicação SindGESTOR

O Escritório de Gestão Estratégica Integrada, da Secretaria de Desenvolvimento (SED), oferece vaga para gestores governamentais com experiência em gerenciamento de projetos, para compor a equipe. A vaga possui gratificação. Interessados devem enviar [...]



PGE oferece vagas com FC

PGE oferece vagas com FC

 06/11/2017

 Comunicação SindGESTOR

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) oferece duas vagas para servidores efetivos - preferencialmente gestores governamentais -, com possibilidade de gratificação de Função Comissionada (FC). As vagas são para trabalhar com Termos de Referência e [...]