SindGESTOR - Sindicato dos Gestores Governamentais de Goiás

Ir para página inicial

Comunicação

Notícias

Com gestor governamental na Secretaria de Finanças, Goiânia eleva nota e pode captar recursos da União

Goiânia é agora uma das poucas cidades do país apta a captar empréstimos com aval da União, graças à nota B obtida no índice de Capacidade de Pagamento (Capag). Todo o trabalho de adequação financeira foi desenvolvido sob supervisão do secretário de Finanças, Alessandro Melo, que é gestor governamental.

O índice Capag é uma avaliação de solvência feita pelo governo federal com objetivo de permitir apenas contratos de operação de crédito em volumes sustentáveis. Goiânia era nota C no relatório do Tesouro Nacional.

O trabalho feito pelo gestor Alessandro Melo se tornou objeto de estudo do Institute of Global Innovation, da Universidade de Birmingham (Inglaterra), em parceria com a Universidade de São Paulo (USP). Junto com São Paulo, Recife e Manaus, Goiânia foi escolhia para o projeto Financial Resilience of Contemporary Cities (Resiliência Financeira em Cidades Contemporâneas), que coleta experiências bem sucedidas e também dificuldades de municípios.

“O grande problema de todos os entes públicos não foi só a queda de receita, mas a dificuldade de controlar os gastos”, explica o secretário-gestor, sobre os efeitos da crise financeira do país na administração pública.

Alessandro Melo sintetiza sua estratégia de gestão, que deu certo e elevou Goiânia do conceito C para o B. “A diferença é que hoje, com os mecanismos que tenho, posso ter uma percepção muito rápida de quedas de receita e de excessos de despesa e, como efeito, posso antecipar minhas ações, tomar decisões preventivamente”.

Secretário-gestorAlessandro Melo: gestão estratégica que deu certo. Foto/Prefeitura de Goiânia

Data : 26/04/2019