SindGESTOR - Sindicato dos Gestores Governamentais de Goiás

Ir para página inicial

Comunicação

Notícias

Gestor de Fiscalização, Controle e Regulação da Semad conclui mestrado

O gestor de Fiscalização, Controle e Regulação João Ricardo Raiser concluiu recentemente mestrado profissional em rede em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua) - FEIS pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Ele é secretário-executivo do Conselho Estadual de Recursos Hídricos, da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O tema foi “Proposição de diretrizes de segurança hídrica na bacia hidrográfica do rio Meia Ponte com foco no abastecimento da Região Metropolitana de Goiânia/Goiás”.

Em sua tese, Raiser que por a água estar ligada a praticamente todos os processos e atividades, e, apesar de ser um recurso renovável, sua disponibilidade é limitada e interferências antrópicas e degradação ambiental contribuem para reduzir a capacidade de infiltração, acumulação e armazenamento nas bacias, consequentemente, reduzindo a vazão nos mananciais. 

“A expansão dos usos, deficiências na gestão e governança das águas comprometem o balanço hídrico e o atendimento aos múltiplos usos, inclusive os prioritários. Eventos hidrológicos críticos agravam esses processos, sendo necessário atuar para evitar ou minimizar impactos econômicos, sociais e ambientais”. 

Especificamente sobre o foco de seu trabalho, a bacia do Rio Meia Ponte, ele observa que ela é a principal bacia goiana, onde se concentra 40% da população em menos de 3,5% do estado. 

“A situação é agravada no trecho das nascentes do rio Meia Ponte até o ponto de captação para o abastecimento da Região Metropolitana de Goiânia, que tem aproximadamente um milhão de pessoas”, explica ele.

Segundo ele, a situação foi agravada por um evento hidrológico crítico, 2015 a 2018, com redução das precipitações e das vazões, inclusive secando o rio em agosto e setembro de 2017, o que colocou o abastecimento público em risco de colapso. A atuação dos Sistemas de Gestão de Recursos Hídricos e de Meio Ambiente, envolvendo o Comitê de Bacia, a Secretaria de Estado e os Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos e do Meio Ambiente de Goiás foi crucial para enfrentar o período de escassez.

Raiser especificou em seu trabalho as experiências de enfrentamento à escassez hídrica e eventos críticos, bem como as bases para propor as diretrizes. O resultado foi apresentado em 19 eixos de ação, divididos em dois conjuntos de Diretrizes de Segurança Hídrica: disponibilidade hídrica — ampliação da vazão ou redução das pressões sobre as fontes, com 10 eixos; e Gestão e integração — aprimoramento da gestão, monitoramento e políticas públicas, com 9 eixos.

“Os 19 eixos foram detalhados e foi elaborada uma sugestão de priorização. Os produtos gerados foram apresentados ao Comitê da Bacia Hidrográfica, que aprovou a proposta, visando a sua implementação na bacia”, finaliza Raiser

O trabalho foi aprovado no final de fevereiro deste ano e está disponível no Repositório da Unesp, neste link.

Data : 03/06/2019